Volumen 7 - Número 19

As teorias do ciborgue: o maquínico e o humano em Stanislaw Lem e Donna Haraway

Roger Andrade Dutra

  

Esta conferência tem como objetivo estabelecer contrastes entre as concepções de ciborgues na Summa Technologiae, Stanislaw Lem (1960) e no A Cyborg Manifesto (1985), de Donna Haraway. Argumentamos que o ciborgue de Donna Haraway é uma resposta ao contexto do ativismo político norte-americano, em que predominam as bipolarizações e onde um sujeito de identidades múltiplas adquire um caráter subversivo e um potencial simbólico disruptivo. Já o ciborgue de Stanislaw Lem é construído como uma possibilidade real, resultado de uma extrapolação da lógica subjacente do processo evolutivo. Representaria um momento inflexivo já que, ainda inscritos à lógica subjacente, os homens ver-se-iam obrigados a invertê-la por meio de drásticas modificações somáticas nos corpos humanos. As contradições entre as duas definições abrem um rol de problemas filosóficos, técnicos e morais que pretendemos discutir.

 

Palavras-chave: ciborgue, Donna Haraway, Stanislaw Lem

 

 

This conference aims to establish contrasts between the conceptions of cyborgs in Stanislaw Lem’s Summa Technologiae (1960) and in Donna Haraway’s A Cyborg Manifesto (1985). We argue that Haraway’s cyborg is a response to the context of American political activism, in which bipolarizations predominate and where a subject of multiple identities acquires a subversive character and a disruptive symbolic potential. On the contrary, Lem’s cyborg is built as a real possibility, the result of an extrapolation of the underlying logic of the evolutionary process. It represents an uninflected moment since, still attached to the underlying logic, men would find themselves forced to reverse it through drastic somatic changes in human bodies. The contradictions between the two definitions open a list of philosophical, technical and moral problems that we want to discuss.

 

Key words: cyborg, Donna Haraway, Stanislaw Lem